terça-feira, 2 de outubro de 2012

Dos tais tons de cinza (a pedidos)


Todo mundo e o mundo todo já sabe do que tratam ‘os tons de cinza dos dias de hoje’. Infelizmente sabem, infelizmente porque é ruim. É muito ruim. É mais que ruim, é péssimo. Mas vamos com calma, pois se trata de algo que ‘todo mundo’ ‘diz’ estar saboreando.
É mal escrito. É um compacto pacote de clichês. É de um tédio nauseante: previsível (óbvio), repetitivo e sem nenhuma densidade. Isso é bom? Não para mim. É pudico, quase puritano. E isso é ruim? Sim, é péssimo, inclusive porque estão dizendo exatamente o contrário. Imagine isso: a heroína (vinte e um aninhos de virgindade – de quando é essa fantasia mesmo?) refere-se ao próprio órgão sexual como ‘lá... ’. É isso. Acontece que a absoluta maioria das mulheres está adorando (ou é só a mídia?), está prescrevendo para as amigas e afirmando que ‘finalmente’ (disseram-me isso tantas vezes...) encontraram um homem digno de suas fantasias: Christian Grey. E os homens estão desconversando. Isso é interessante.
Enfim,  não estamos, portanto, diante de nada que diga respeito à literatura. Nada disso, isso é muito  claro. Trata-se de outro ponto. Ou pontos: provavelmente mais de cinquenta. Mas perguntemo-nos, por enquanto, por apenas um. O que querem as mulheres? Essas mulheres. Bom, se ouvirmos bem o que estão dizendo é:

- Queremos um amo. Queremos ser uma submissa. (essas palavras, precisamente essas, estão exercendo enorme fascínio. Ouve-se: ‘um homem que sabe o que quer; que sabe mandar sendo cuidadoso e potente ao mesmo tempo; preocupado em não machucar, em não fazer nada forçado’ (!). Por certo, uma fantasia lindamente infantil. Ainda que a brincadeira particular - repito, particular e brincadeira - de amo e escrava e vice-versa, seja universal e, portanto, funcione eroticamente falando. Sim, é graciosamente infantil. Divertido) 

- um homem lindo, jovem, rico, culto ([?], sim, segundo a autora e leitoras diversas), competente, irresistível e que ‘cuida de tudo, toma todas as providências’. Alguma coisa a ver com príncipe encantado?

-conhecer melhor o próprio corpo, descobrir as possibilidades de prazer que existem e de que nem imaginavam. É isso mesmo? Nem imaginavam. Ouvi bem.

- obedecer a um contrato. Rigorosamente. Esse é o ponto, aparentemente, mais excitante da história. Acho que aqui – num contrato – talvez esteja o X da questão.

Serão as mesmas mulheres que fizeram a revolução sexual (que, aliás, foi há mais de cinquenta anos); que têm liberdade sexual (papai deixa, não é pecado, não tem risco de engravidar...); que são donas do próprio corpo (por isso dizem que o aborto é um direito)? Serão essas, outras mulheres? Impossível, só existem 'as mulheres', as mesmas, se falarmos no plural. Ou... ou... é tudo culpa (outra vez!) dos homens, porque não existem mais (estão dizendo isso... como sabem que existiram?) homens de verdade, homens tipo Christian Grey. Ok, isso é só o começo de uma conversa. É a primeira resposta de uma provocação que acontece há várias semanas. Portanto, esperamos contribuições para o diálogo.
Estou grata a esse péssimo texto por permitir abrir um diálogo. E, quiçá, tirar vendas (rs, estou me referindo a viseiras) e estampar ignorâncias. Muito bom isso.
 
Em tempo 1: sobre literatura erótica, alguém conhece ‘Teresa Filósofa’, anônimo Best-seller do século XVIII? Marquês de Sade, Bocage, Georges Bataille, Bukowski, Alexandrian... alguém já ouviu falar? Bom, isso tem a ver com literatura. É certo.

Em tempo 2: lá   adv (lat illac) Ali, naquele lugar; algures, entre eles, àquele ou para aquele lugar; aí, nesse lugar; longe ou para longe. Definitivamente não é um nome. O nome comum é vagina, clitóris, vulva, períneo, ânus... existem muitos outros. Menos comuns. 
Em tempo 3: cá entre nós, rs, achei o Christian bem fraquinho... tou começando a ficar preocupada comigo.


2 comentários:

  1. hahahaahhaha
    nao posso negar que acabei de ganhar o livro e vou começar a ler, mas o seu texto: EU AMEI!!! Como todos!!!
    Saudades Maguiditaaaa!!!!
    Beijos,
    Dani Castanheira

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ei, Dani!!! Hombre!Saudades também!!! Então, leia sim, divirta-se, é hilário mas é sério, rs. Vamos conversar muito ainda... mandarei notícias,por supuesto, temos novas e boas. besos.

      Excluir