quarta-feira, 24 de outubro de 2012

SÉRIE INTELIGÊNCIA RARA: Clarice entrevista

PABLO NERUDA
 
“ – Você se considera mais um poeta chileno ou da América Latina?
- Poeta local do Chile, provinciano da América Latina.
- O que é angústia? – indaguei-lhe.
- Sou feliz. – foi a resposta.
- Escrever melhora a angústia de viver?
- Sim, naturalmente. Trabalhar em teu ofício, se amas teu ofício, é celestial. Senão é infernal.
- Quem é Deus?
- Todos algumas vezes. Nada, sempre.
- Como é que você descreve um ser humano o mais completo possível?
- Político, poético. Físico.
- Como é uma mulher bonita para você?
- Feitas de muitas mulheres.
- Escreva aqui o seu poema predileto, pelo menos predileto neste exato momento.
- Estou escrevendo. Você pode esperar por mim dez anos?
- Em que lugar gostaria de viver, se não vivesse no Chile?
- Acredite-me tolo ou patriótico, mas eu há algum tempo escrevi em um poema:
Se tivesse que nascer mil vezes.
Ali quero nascer.
Se tivesse que morrer mil vezes.
Ali quero morrer...
- Qual foi a maior alegria que teve pelo fato de escrever?
- Ler minha poesia e ser ouvido em lugares desolados: no deserto aos mineiros do norte do Chile, no Estreito de Magalhães aos tosquiadores de ovelha, num galpão com cheiro de lã suja, suor e solidão.
- Em você o que precede a criação, é a angústia ou um estado graça?
- Não conheço bem esses sentimentos. Ma s não me creia insensível.
- Diga alguma coisa que me surpreenda.
- 748.
(E eu realmente surpreendi-me, não esperava uma harmonia de números)
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário