segunda-feira, 26 de novembro de 2012

VIGÍLIA COM RILKE



“Vejo-te, rosa, livro à metade
Aberto que contém tantas páginas
De detalhada felicidade
Que jamais serão lidas. Livro-mago,

que se abre ao vento e cuja leitura
Se pode fazer de olhos fechados...,
De lá as borboletas voam confusas
Pelas mesmas ideias lhe terem inspirado."

In As Rosas, Rainer Maria Rilke, Sette Letras, RJ, 1996.

Nenhum comentário:

Postar um comentário