quarta-feira, 28 de novembro de 2012

VIGÍLIA COM RILKE:


Uma rosa só são todas as rosas
E esta aqui: ágil vocábulo
o único, o perfeito
emoldurado pelo texto das coisas.

Como dizer sem ela
o que foram nossas esperanças
e em meio à constante errância
os momentos ternos e breves.

In As Rosas, Rainer Maria Rilke, Sette Letras, RJ, 1996.

Nenhum comentário:

Postar um comentário