sexta-feira, 30 de novembro de 2012

VIGÍLIA COM RILKE:



“De teu sonho tão cheio,
Flor numerosa em seu meio,
Molhada como quem chora,
Tu te inclinas sobre a aurora.

Tuas doces forças que dormem,
Em um incerto desejo,
Produzem essas formas suaves
Entre faces e seios.”

In As Rosas, Rainer Maria Rilke, Sette Letras, RJ, 1996.

Nenhum comentário:

Postar um comentário