sábado, 15 de dezembro de 2012

VIGÍLIA COM VINÍCIUS:

O CAMELÔ DO AMOR

Parai tudo o que estais fazendo, homens de gravata e sem gravata, funcionários burocráticos e deambulantes, mercadores e fregueses, professores e alunos, íncubos e súcubos – e escutai o que eu vos tenho a dizer.
Chegai-vos a mim e vende ver toda a beleza que estou vendendo a preço de banana! Homens da Cifra e da Sigla, de Toga e de Borla-e-Capelo, de Fardão e de Sobrepeliz: esquecei por um momento vossas conjunturas e aproximai-vos de olhar sincero e coração na mão.
É favor suspender por alguns minutos a partida, Senhor Juiz Armando Marques! Conserva-se assim o pé no ar, meu bom Pelé, qual fantástico dançarino. Feras da Seleção: atenção! Alerta, aviadores do Brasil! Capitães de mar: estamos no ar!
A postos, emissoras em cadeia! Câmaras de cinema e televisão: ação! Estações de rádio e radioamadores: ligai os receptores! Atenção, Intelsat: ... quatro ... três ... dois... um...
Aqui fala o poeta, o jogral, o menestrel, o grande Camelô do Amor!
O Amor tonifica o cabelo das mulheres, torna-os vivos e dá-lhes um brilho natural. Mise en plis? Só do Amor! Nada melhor que divinos cafunés para as moléstias do couro cabeludo!
Olhos opacos? Amores fracos! Olhos sem brilho? Amor-colírio! Olhos sem cor? Amor! O Amor branqueia a córnea, acende a íris, dilata as pupilas cansadas. E ainda dá as mais belas olheiras naturais. Dois beijos, dois minutos: dois olhos claros de veludo!
O Amor limpa de rugas a fronte das mulheres, elimina os pés-de-galinha e acrescenta lindas covinhas ao sorriso. Tende sempre em mente: o Amor coroa as mulheres de pesados diademas invisíveis... amais, coroas! A mulher que ama reinventa o Paraíso. A mulher que é amada move majestosamente!
O Amor pitaganiza o nariz das mulheres, torna-os frementes, com delicados tiques, particularmente nas asas. Narizes gordurosos, com propensão a cravos e espinhas? Muitas, muitas festinhas contra o nariz amado!
O amor horizontal é melhor e não faz mal. Bocas rosadas, frescas , palpitantes? Beijos de amor constantes! As bocas mais beijadas são mais bem lubrificadas. Só isso dá à sua boca o máximo!
Qual Narden, qual Rubinstuff!! – morte às pomadas! Pomadas, cremes, só de Amor, amadas! Pele jovem e macia? Amai, se possível, todo dia: e ante o esplendor de vossa pele há de ruborizar-se a madrugada.
Juventude noite e dia? – carne sem banha! Ela tem mais freguesia? – sempre se banha! Aliás, uma coroa – que coisa boa! Bem que ela em seu lugar. E... sabor de loucura!
A Amor estimula extraordinariamente a higiene bucal, pois, como todos sabem, a água-e-sal é o composto químico da saliva, que consequentemente se ativa, impedindo a halitose e tornando a carícia palatal!
Se é de Amor, é bom! Não sabe aquela que não põe desodorante? Perdeu o marido e hoje não pega nem amante... sim, cuide o subextrato de suas asas,  anjo  meu, mas nada de exagero... uma axila sem cheiro pode levar um homem ao desespero! E não bobeie, não dê bola, não se iluda: um homem ama uma axila cabeluda! Siga o exemplo da mulher italiana: na ousa lâmina e é mulher superbacana. Ponha um tigre debaixo do braço!
E basta de pastas, ó tu que levas o leite contigo – bom até a última gota! Se amares, o sangue circulará melhor em tuas glândulas mamares, e consequentemente terás seios sinceros, autodidatas, substantivos! Algo mais que o Amor lhe dá...
Casamento serve bem ao grande e ao pequeno. Serve bem à beça! Veja, ilustre passageiro, o belo tipo faceiro que viaja ao lado seu. Pois, no entretanto, eu lhe digo: quase ela fica a perigo.. Salvou-a um justo himeneu. Alivia, acalma e reanima! Todo homem que chega em casa deve levar beijos mil: da mãe e da menininha. E como é bom ter seu amor junto ao corpo... É a pausa que refresca... quem a casar se mete, repte!
Um mínimo de cirurgias plásticas, dietas patetas e essas ginásticas fantásticas... vivei e amais ao Sol! Para aquela que ama, vosso senões são poesia. Nada mais lindo que as feiurinhas da mulher amada!
Por isso, eu grito aqui: regulador? – besteira! A saúde da mulheres está em ser boa companheira. Não há pílula para a percanta que se preza. Seja mulher! Conserve o seu sorriso! Valha o quanto pesa! Use o auge da bossa e namore o quanto possa: na praça, na praia,no prado – no banco que está ao seu lado!
Eu sempre digo, e faço figa do que diga seu melhor, muito melhor que óleo de fígado. Porque, além de excitar o metabolismo basal, para o vago-simpático é o tônico ideal!
Eis seu mal: não amar. Daí, decerto, a causa dessas suas tonteiras, dessas náuseas... Ame king-size! E se lembre sempre: o espetáculo começa quando a senhora chega! Quem não é o maior, tem que ser o melhor! Por isso, espere um pouco, por favor... e repita comigo, assim...
A-m-o-r!
Rio, 10/11/1969

Nenhum comentário:

Postar um comentário