quinta-feira, 27 de dezembro de 2012

VIGÍLIA COM VINICIUS:



IMITAÇÃO DE RILKE


Alguém que me espia do fundo da noite

Com olhos imóveis brilhando na noite

Me quer.

Alguém que me espia do fundo da noite

(Mulher que me ama, perdida na noite?)

Me chama.


Alguém que me espia do fundo da noite

(És tu, Poesia, velando na noite?)

Me quer.


Alguém que me espia do fundo da noite

(também chega a morte dos ermos da noite...)

Quem é?

Nenhum comentário:

Postar um comentário