sexta-feira, 4 de janeiro de 2013

CONTINUANDO O COMEÇO: Se não te cuidares, cuidado/Com as armadilhas do ar/Qualquer solto som pode dar tudo errado.

 
 “outros que sempre me conheceram aqui no meu último lugar eles falam comigo deles de mim também talvez no fim de alegrias passageiras e de tristezas de impérios que nascem e morrem como se nada tivesse acontecido

Outros enfim que não me conhecem mesmo assim passam com o andar carregado murmurando para si mesmos que buscam refúgio num lugar deserto para ficarem sozinhos afinal e chorarem suas mágoas sem serem ouvidos

Se eles me vêem eu sou um monstro das solidões ele vê o homem pela primeira vez e não foge diante dele exploradores levam para casa sua pele entre seus troféus”

in Como é, Samuel Beckett, Iluminuras, SP, 2003.

Nenhum comentário:

Postar um comentário