terça-feira, 8 de janeiro de 2013

Esquenta para o grupo de estudos:

“Husserl, que jamais sacrificou às matemáticas suas preocupações filosóficas, abandona em 1884 o posto de assistente de Weiertrass que acabava de obter e decide consagrar-se à solução desses problemas. Nessa época, entra em contato com Franz Brentano que, em sua Psicologia do ponto de vista empírico, propõe um novo método de conhecimento do psiquismo. A grande contribuição de Brentano consiste de início em distinguir fundamentalmente os fenômenos psíquicos, que comportam uma intencionalidade, a visada de um objeto, dos fenômenos físicos; em seguida, em afirmar que esses fenômenos podem ser percebidos e que o modo de percepção original que deles temos constitui o seu conhecimento fundamental. Donde a fórmula: “ninguém pode verdadeiramente duvidar que o estado psíquico que em si mesmo percebe não existe, e não existe tal como o percebe”, fórmula que Husserl não esquecerá.

Eis aí, com efeito, uma posição estratégica forte, já que a descrição do fenômeno tal como ele é obedece às exigências do positivismo reinante, que exclui todo conhecimento que não venha da experiência, e permite, por outro lado, aceder ao concreto e à vida que a ciência tinha tendência a esquecer. A exploração do campo de consciência e dos modos de relação ao objeto, que a escola de Brentano persegue com Stumpf e Von Meinong, delimita o que se tornará o campo de análise da fenomenologia de Husserl. Mas essa escola fica na descrição dos fenômenos psíquicos, e não responde às questões fundamentais que Hursserl se coloca: poderá um conceito lógico ou matemático, como um número, se reduzir à operação mental que o constitui, por exemplo à numeração? E se ele não se reduz a isto, não será o estudo da operação mental mais do que uma simples descrição do psiquismo? Um ultrapassamento da psicologia descritiva de Brentano se verifica necessário e é este ultrapassamento que Husserl realizará sob o nome de fenomenologia.”

In O que é a fenomenologia?, André Dartigues, Eldorado, RJ, 1972.

Nenhum comentário:

Postar um comentário