quinta-feira, 24 de janeiro de 2013

SÉRIE BITS: LITERATURA BRASILEIRA

 
 “Depois    Entrava o menino  Com seu pé de vento
E a casa ventava  Os quartos cantavam   E tudo se enchia de som e alegria.
E a cozinheira dizia: “chegou o maluquinho”.
Um dia, num fim de ano    O menino maluquinho  Chegou em casa com uma bomba:
“Mamãe, tou aí com uma bomba!”    - “Meu neto é um subversivo!” gritou o avô.
“Ele vai matar o gato!” gritou a avó.  ‘Tira esse negócio daí!”  Falou – de novo – a babá.
Mas, aí o menino explicou:  “A bomba já explodiu, gente. Lá no colégio’.
“Esse menino é maluquinho!”   Falou o pai, aliviado.
E foi conferir o boletim.  Esse susto não era nada.  Tinha outros, que ele pregava.
Às vezes  Sem qualquer ordem do papai e da mamãe Se trancava lá no quarto
E estudava e estudava    E voltava do colégio Com as provas terminadas
Tinha dez no boletim     Que não acabava mais.”

Fragmento de O menino Maluquinho, Ziraldo, Melhoramentos, RJ, 1980.

P.s: para o Lula (Luiz Antônio)

Nenhum comentário:

Postar um comentário