terça-feira, 5 de fevereiro de 2013

SÉRIE BITS: POESIA BRASILEIRA



COGITO

Torquato Neto

Eu sou como eu sou

Pronome

Pessoal intransferível

Do homem que iniciei

Na medida do impossível



Eu sou como eu sou

Agora

Sem grande segredo dantes

Sem novos secretos dentes

Nesta hora

Eu sou como eu sou presente

Desferrolhado indecente

Feito um pedaço de mim

Eu sou como eu sou

Vidente

E vivo tranquilamente

Todas as horas do fim.

In Os cem melhores poemas brasileiros do século, seleção Ítalo Moriconi , Objetiva, RJ, 2001.

 

Nenhum comentário:

Postar um comentário