domingo, 7 de abril de 2013

LIVRO DO MÊS 5: Goethe – Os sofrimentos do jovem Werther



“8 de fevereiro

Há uma semana que faz um tempo abominável, e isso me encanta, pois, desde que aqui cheguei, não houve um único belo dia que alguém não o tivesse envenenado ou transtornado. Já que chove, neva, gele e o gelo se derrete, digo a mim mesmo que não pode estar pior aqui dentro do que lá fora, ou vice-versa. E assim, me sinto melhor. Quando, pela manhã, o raiar do sol promete um belo tempo, não posso conter esta exclamação: “Eis ainda uma dádiva do céu que eles não podem arrancar uns aos outros!” Tudo serve de pretexto para se espoliarem: saúde, reputação, contentamento, repouso! Quase sempre é por estupidez, falta de julgamento, estreiteza de espírito, e, a dar-lhes crédito, fazem tudo isso com a melhor das intenções. Às vezes eu tenho vontade pedir-lhes, de joelhos, que não rasguem as entranhas com tanta fúria.”

In Os sofrimentos do jovem Werther, Goethe, Martin Claret, 2ª edição, SP, 2010.

p.s: atenção, grupo de estudos.

 

Nenhum comentário:

Postar um comentário