segunda-feira, 22 de abril de 2013

LIVRO DO MÊS 6: Roland Barthes – Fragmentos de um discurso amoroso



“Me abismo, sucumbo...”
ABISMAR-SE. Lufada de aniquilamento que atinge o sujeito apaixonado por desespero ou por excesso de satisfação.
WERTHER
1.       Por mágoa ou por felicidade, sinto às vezes vontade de me abismar.
Manhã (no campo) cinzenta e amena. Sofro (desconheço o motivo). Surge uma ideia de suicido, desprovida de ressentimento (sem chantagem com ninguém); é uma ideia neutra; não rompe nada (não ‘quebra’ nada); combina com a cor (com o silêncio, o abandono) dessa manhã.
Um outro, embaixo de chuva, esperamos o barco à beira de um lago; a mesma lufada de aniquilamento me atinge, desta vez por felicidade. Assim, às vezes, a infelicidade ou a alegria desabam sobre mim, sem nenhum tumulto posterior: nenhum outro sofrimento: estou dissolvido, e não em pedaços; caio, escorro,derreto. Este pensamento levemente tocado, experimentado, tateado (como se tateia a água com o pé) pode voltar. Ele nada tem de solene. É exatamente a doçura

in Fragmentos de um discurso amoroso, Roland Barthes, 11 ª edição, Francisco Alves Editora, RJ, 1991 

 

Nenhum comentário:

Postar um comentário