quinta-feira, 11 de abril de 2013

PARA O GRUPO DE ESTUDOS: o psicanalista e o poeta



 

Ulisses, O Retorno
Affonso Romano de Sant'anna


Como voltar
 depois de Itaca
 das sereias
 dos ciclopes
 de tanto assombro
 de tanto sangue na espada?

Como voltar
 se aquele que partiu
 partiu-se
 e voltará os fragmentos do excesso?

Não há retorno
 Há outra viagem
 diariamente urdida
 dentro da viagem
 antiga.

Embora o caminho
 da volta
 seja percorrido ninguém retorna
 apenas volta a viajar
 no espaço anterior
 estranhamente familiar.

Como se o regresso
 fosse acréscimo
 e o viajante descobrisse
 que é atrás
 que está a fonte
 e na alvorada
 o horizonte
 não há retorno.

 Há o contorno
 do próprio eixo
 o tempestuoso
 périplo do ego
 um diálogo de ecos
 como quem
 tenta encaixar
 diferentes rostos
 no mesmo espelho.

Por isto, o retorno
 inelutável
 é perigoso
 exige mais perícia
 que na partida
 mais destreza
 que nos conflitos
 pois o risco
 é naufragar
exatamente
 quando chegar ao porto.”


Nenhum comentário:

Postar um comentário