terça-feira, 23 de julho de 2013

UMA SEMANA COM EDUARDO GALEANO 3



 NO FUNDO, TUDO É UMA QUESTÃO DE HISTÓRIA

 Vários séculos antes de Cristo, os etruscos enterravam seus mortos entre paredes que cantavam o júbilo de viver.
Em 1966 desci com Graziela nas tumbas etruscas e vimos as pinturas. Havia amantes em todas as posições, gente comendo e bebendo, cenas de música e celebração. Eu tinha sido amestrado catolicamente para a dor e fiquei vesgo nesse cemitério que era um prazeres.

E DE CORAGEM

Uma noite, há muitos anos, num boteco do porto de Montevidéu, estive até o amanhece bebendo com uma puta amiga, e ela me contou:
- Sabe uma coisa? Eu, na cama, não olho nunca os olhos dos homens. Eu trabalho com os olhos fechado.  Porque se eu olhar para os olhos dos homens fico cega, sabe?

MAS É PRECISO ESCOLHER

Quantas vezes confundimos a bravura com vontade morrer? A histeria não é história nem o revolucionário um amante da morte. A morte, que algumas vezes me tomou e me largou, volta e meia me chama até hoje, e eu mando ela para a puta que pariu.

Nenhum comentário:

Postar um comentário