quarta-feira, 10 de julho de 2013

Uma semana com YVES BONNEFOY 4

Cativo de uma sala, do ruído, um homem mistura as cartas. Numa: “Eternidade, odeio-te” Noutra: “Liberte-me este instante!”
E numa terceira ainda escreve o homem: “Indispensável morte.” Assim na falha do tempo vai ele a caminhar, iluminado pela sua ferida.



Nenhum comentário:

Postar um comentário

NO FUNDO NÃO HAVIA ÁGUA ou ENTRE O SUJEITO E A COISA

( nota prévia: esse é o primeiro conto do livro INCONTÁVEIS,  de que publicamos o prefácio antes. Como dissemos é um livro denúncia. Denú...