sábado, 31 de agosto de 2013

DEVER DE CASA: A mulher 28




 A REDE OU O QUE SEVILHA NÃO CONHECE

 Há uma lembrança para o corpo,
A tua: é a de um abraço de rede,
esse abraço de corpo inteiro
De qualquer rede do Nordeste,
Da rede que tua Andaluzia,
Que é tão da sesta, não conhece,
e mais que abraço, é o abraçar
De tudo o que pode estar nele;
é abraço sem fora e sem dentro,
é como vestir outra pele
Que ele possui e que o possui,
Uma rede nas veias, febre.

In Agrestes, João Cabral de Melo Neto, Record/Altaya, SP, 1985.
O escritor pernambucano João Cabral de Melo Neto dialogou com grandes nomes que o antecederam por meio de uma nova poética

Nenhum comentário:

Postar um comentário