sábado, 5 de outubro de 2013

TEMPO DE VINICIUS 4

O poeta Vinicius de Moraes morreu em 1980.

UMA MÚSICA QUE SEJA

 ... como os mais belos harmônicos da natureza. Uma música que seja como o som do vento na cordoalha dos navios, aumentando gradativamente de tom até atingir aquele em que se cria uma reta ascendente para o infinito. Uma música que comece sem começo e termine sem fim. Uma música que seja como o som do vento numa enorme harpa plantada no deserto. Uma música que seja como a nota lancinante deixada no ar por um pássaro que morre. Uma música que seja com o som dos altos ramos das grandes árvores vergastadas pelos temporais. Uma música que seja como o ponto de reunião de muitas vozes em busca de uma harmonia nova. Uma música que seja como o voo de uma gaivota numa aurora de novos sons...
 

In Vinicius de Moraes – Poesia Completa e Prosa – Editora Nova Aguilar S.A. RJ, 1976.


Nenhum comentário:

Postar um comentário