segunda-feira, 16 de dezembro de 2013

Boas vigílias para vocês:



(...)
“O tempo é de cuidados, companheiro.
É tempo sobretudo de vigília.
O inimigo está solto e se disfarça,
Mas como usa botinas, fica fácil
Distinguir-lhe o tacão grosso e lustroso,
Que pisa as forças claras da verdade,
E esmaga os verdes que dão vida ao chão.
O tempo é de mentira. Não convém
Deixar livre o menino da esmeralda.
Melhor é protegê-lo da violência
Que amarra a liberdade em pleno voo.
A sombra já desceu, e muita s fauces
 Famintas se escancaram farejando.
Cuidado, companheiro, esconde a rosa,
Espanta a mariposa colorida,
É perigosa essa canção de amor.”

In Faz escuro mas eu canto, Thiago de Mello Civilização Brasileira, RJ, 1978.

Nenhum comentário:

Postar um comentário