quarta-feira, 8 de janeiro de 2014

DE SUGESTÕES 4:

File:Walt Whitman cph.3b29434.jpg


               XL

Ostensivo sol não preciso do teu calor – afasta-te!
Tu iluminas só as superfícies, eu penetro as superfícies e as profundidades.
Terra! Pareces buscar algo nas minhas mãos,
Diz, velha pupa, o que é que queres?

Homem ou mulher, podia dizer-te quanto gosto de te, mas não posso,
Podia dizer-te o que há em mim e em ti, mas não posso,
Podia dizer-te do meu desejo, desse pulsar dos meus dias e das minhas noites.

Ouve: eu não dou conferências nem pequenas caridades,
Quando dou é por inteiro que me dou.

Tu aí, ó impotente, com os joelhos trêmulos,
Abre os lábios enrugados para que te dê forças,
Estende as palmas das mãos e abre os bolsos,
Eu não serei recusado, imponho-me, tenho tanto armazenado, tanto para dar,
E ofereço tudo o que tenho.

Não pergunto quem és, para mim isso não é importante,
Não podes fazer nada, não podes ser mais do que aquilo que te dou.”

In Canto de Mim Mesmo, Walt Whitman, Assírio & Alvim, Lisboa, 1992.

Nenhum comentário:

Postar um comentário