segunda-feira, 24 de março de 2014

ESTUDANDO:

 



“ Num conto que nunca cheguei a publicar acontece o seguinte: uma mulher, em fase terminal de doença, pede ao marido que lhe conte uma história para apaziguar as insuportáveis dores. Mal ele inicia a narração, ela o faz parar:
- Não, assim não. Eu quero que me fale numa língua desconhecida.
- Desconhecida? - pergunta ele.
- Uma língua que não exista. Que eu preciso tanto de não compreender nada!(...)”

In E se Obama fosse africano? Ensaios, Mia Couto, Companhia das Letras, SP, 2012.

Nenhum comentário:

Postar um comentário