sexta-feira, 23 de maio de 2014

COPA 1: FUTEBOL LEVADO A SÉRIO




“Um futebolismo avassalador, multiplicado pela mídia e euforizado ainda mais pela propaganda, tem como contraponto quase obrigatório as vozes altivas que se põem no que parece ser a posição pensante e que timbram por minimizar o futebol em si, destituindo-o de qualquer relevância cultural. No momento que agora se abre, com a perspectiva da Copa do Mundo de 2014 no Brasil, a conhecida combinação brasileira de sucesso futebolístico com desmando político acaba por chapar o processo, fazendo dele inteiro uma só medalha, com uma face eufórica e outra disfórica a se revezarem infinitamente (papel exercido pelo duplo viés de exaltação e bombardeio acusatório com que a imprensa trata comumente o assunto). Aqui, a tentativa é fazer contato com a experiência total do futebol na vida brasileira sem cair na gangorra onipresente que balança entre o veneno da crítica ou a droga euforizante – pólos que se equivalem,quando falsamente contrapostos, em nivelar e esconder a questão.”

In Veneno Remédio – O Futebol e o Brasil, José Miguel Wisnik, Companhia das Letras, SP, 
2008.

Nenhum comentário:

Postar um comentário