quinta-feira, 9 de outubro de 2014

ESTUDANDO: Borges para Ana 1

LILIT



Porque antes de Eva foi Lilit, lê-se num texto hebraico. Sua lenda inspirou ao poeta inglês Dante Gabriel Rossetti (1828-1882) a composição de Eden Bower. Lilit era uma serpente; foi a primeira esposa de Adão e lhe deu glittering sons and radian daughters (filhos resplandecentes e filhas radiantes). Depois, Deus criou Eva; Lilit, para vingar-se da mulher humana de Adão, instou-a a provar o fruto proibido e a conceber Caim, irmão e assassino de Abel. Tal é a forma primitiva do mito, seguida por Rossetti. Ao longo da Idade Média, a influência da palavra layil, que em hebraico quer dizer noite, foi transformando esse mito. Lilit deixou de ser uma serpente para ser um espírito noturno. Às vezes é um anjo que rege a procriação dos homens; outras, um demônio que assalta os que dormem sós ou os que andam pelas estradas. Na imaginação popular costuma assumir a forma de uma mulher alta e silenciosa, de negros cabelos soltos.



In O Livro dos seres imaginários, Jorge Luis Borges e Margarita Guerrero, Editora Globo, RJ, 1981.

(grifo meu)
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário