quinta-feira, 2 de outubro de 2014

Keats e a vida. Incrível Keats.



A MORTE
I
Pode a morte ser sono, se a vida não mais que sonho,
E se as cenas de êxtase passam qual espectros?
Os prazeres transitórios semelham visões,
Mas pensamos a morte como a grande dor.

II
Como é estranho o vagar do homem na terra,
Em sua vida maldita não pode desvencilhar
O rude caminho; nem ousa sozinho entrever
Seu augúrio futuro que não é senão despertar.

in Nas invisíveis asas da poesia, John Keats, Iluminuras, SP,1998.
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário