sexta-feira, 14 de novembro de 2014

ESTUDANDO OS PRIMÓRDIOS DO LIVRO: ORÍGENES DE ALEXANDRIA

 
4 ªPARTE:



A moral consiste essencialmente no retorno dos espíritos a Deus que é o sumo bem, e o fim de todas as coisas consiste em chegar a suma medida do possível, semelhantes a Deus. A alma conserva uma lembrança de seu estado primitivo, que não se apaga inteiramente com sua união com o corpo (doutrina da reminiscência). Este é o princípio da libertação, pois mesmo encerrada em seu corpo material, conserva sua liberdade e pode esforçar-se para se libertar da carga do corpo a fim de retornar ao estado que lhe corresponde. A capacidade de escolha é um fato que cada um experimenta em si mesmo e que distingue o homem de todos os demais seres corpóreos. Para retornar a Deus há vários caminhos, naturais e sobrenaturais, todos convergindo ao mesmo termo. Um é o conhecimento, em que, por procedimento dialético, a alma se eleva das realidades sensíveis até as inteligíveis. Outro é o da autocontemplação da alma. A alma é um espírito criado à semelhança de Deus, que conserva uma imagem da divindade e contemplando-se, encontra um meio de conhecer a Deus. A isto se deve unir um esforço de ascetismo para purificar a alma de seu contato com as coisas terrenas. Há ainda outro meio, sobrenatural, a graça de Deus, merecida pela redenção de Jesus.
Orígenes deixa-se arrastar pelo otimismo: a salvação de Cristo é universal. Deus criará sucessivamente mundos. A história se repetirá até que prevaleça o bem e o mal seja totalmente eliminado. Todas as almas retornarão à sua origem, uma vez terminada a purificação, cuja ocasião é proporcionada por Deus mediante a multiplicação dos mundos. Deste modo a ordem ficará restabelecida e Deus será tudo em todos...

(transcrito da tradução da Prof. Léa Ferreira Laterza do livro ‘História de la Filosofia’, Fraile G. para o curso de Filosofia Medieval, em 1984).

Apocastástase: a recapitulação, o fato de que ‘o fim seja sempre como o princípio’. Volta de tudo a Deus, razão das grandes polêmicas e causa da condenação de Orígenes.

Nenhum comentário:

Postar um comentário