quarta-feira, 30 de setembro de 2015

TEMPO DE ESTÊVÃO 4:

 
Encontro com o mal

O tempo é incômodo. Um escritor deveria ter o privilégio de reificar sua imaginação nas encruzilhadas mais lunares da vida; incapaz de fazê-lo - e talvez fosse horrível fazê-lo - ele se contenta com enfileirar palavras e inventar De Quincey com três tristes tigres de papel e lápis no ônibus 92 que vai da Porte de Champerret à Gare Montparnasse, numa noite de inverno há dez anos. Ninguém como De Quincey para viver um encontro que alguns dos meus pesadelos ainda levam à sua perfeição. Ele que havia sido capaz de abrir caminho na mais apavorante das noites londrinas para mostrar Williams movendo-se com pisadas de fumaça, a cara inexplicavelmente pálida, o cabelo de um assombroso amarelo-alaranjado. (...)

in A volta ao dia em 80 minutos, Julio Cortázar, Civilização Brasileira, Rio de Janeiro, 2008.

Nenhum comentário:

Postar um comentário