domingo, 27 de dezembro de 2015

SEIS



 BRINCADEIRA!

Do jeitinho como se praticou na infância,
A gente simula compromissos,
Finge que está muito azafamada,
Que trabalha numa lojinha ou escritório.

A gente representa constituir uma família,
Aguarda todos os dias a sorte grande,
Arremeda competições e enche gavetas,
Ignora que se adoece ou se morre.

E quem – me digam, por favor –
Não aprendeu a brincar?

In Os vaga-lumes desaparecem, José Narciso Bedran, Scriptum, BH, 2015.

Nenhum comentário:

Postar um comentário