domingo, 15 de maio de 2016

MAIS HILDA HILST:



vitral.jpg

“As faces encostadas nos vitrais

E através, as figuras e o jardim.

E era tanta a vontade de ver mais

Que uma névoa descia sobre mim



E o que eu queria ver, via jamais.

O cheiro quase rubro dos jasmins

Redobrava meu pranto de seus ais

Nessa tarde de luz nos seus confins.



Voltou-se o amigo e olhou minha tristeza.

Eu só te vejo a ti. Antes não visse.

Imaginaste a tarde. Ela não existe.



Mas seu rosto era pleno de beleza

E por isso deixei que me mentisse

Antes que só por mim ficasse triste."



In Exercícios, Hilda Hilst, Editora Globo, São Paulo, 2013.

 

Nenhum comentário:

Postar um comentário